sexta-feira, 30 de julho de 2010

Guilhermina Suggia

Guilhermina Suggia

via A Matéria do Tempo by Fernando Ribeiro on 7/29/10


(Foto: Alvin Langdon Coburn)

Guilhermina Suggia (Porto, 27 de junho de 1885 - Porto, 30 de julho de 1950), de seu nome completo Guilhermina Augusta Xavier de Medin Suggia, foi uma grande violoncelista portuguesa, com ascendência italiana e espanhola por parte do pai. Dotada de um temperamento impetuoso, Guilhermina Suggia foi um dos maiores intérpretes do violoncelo no séc. XX, instrumento que tocava de maneira apaixonada e com o qual arrebatava as plateias que a ouviam. É de destacar que o seu talento e força de vontade foram tais, que se tornou na primeira mulher na história da música a profissionalizar-se como violoncelista.


Adagio para violoncelo e orquestra com harpa, sobre duas melodias judaicas (Kol Nidrei), op. 47, de Max Bruch (1838-1920), por Guilhermina Suggia

Ler mais



Prestação da casa aumenta já em Agosto

Prestação da casa aumenta já em Agosto

via jn.pt - Economia on 7/27/10

A lenta mas constante subida da Euribor já começa a sentir-se nas prestações do crédito à habitação. E quem fizer um empréstimo em Agosto vai pagar em média mais sete euros por mês do que se tivesse contratado exactamente o mesmo crédito em Julho.

Fonte: Jornal de Notícias de 28Jul2010

O Toque de Uma Mulher Pode Aumentar Vontade de Correr Riscos Financeiros

O Toque de Uma Mulher Pode Aumentar Vontade de Correr Riscos Financeiros

via Dissonância Cognitiva by Bruno Ribeiro on 7/26/10

O toque feminino é visto muitas vezes como sendo perigoso. Um estudo recente na área dos processos de tomada de decisão veio demonstrar que de facto um simples toque de uma mulher pode ser suficiente para levar pessoas a tomarem mais riscos a nível financeiro. O estudo limitou-se a avaliar em que medida é que os sujeitos (de ambos os sexos) estariam dispostos a correr riscos financeiros (investir vs apostar) em função da sua sensação de segurança. Quanto mais seguros se sentiam os sujeitos, maiores eram os riscos assumidos.
E o que tem isso a ver com o toque feminino? Aparentemente, o simples toque no ombro por parte de uma mulher é suficiente para elever a sensação de segurança das pessoas, levando-as a arriscar mais. Quando esse mesmo toque é dado por um homem este aumento do sentimento de segurança e impulso para arriscar mais financeiramente não ocorre.
Os autores colocam a hipótese deste toque ser reminescente do comportamento de uma mãe para com um bebé, tocando-o para que se sinta mais seguro. A reforça esta possibilidade, o efeito verificado no estado é atenuado quando o toque no ombro é substituído por um aperto de mão, algo mais formal.

Imagem: PICT0044, by DanMaudsley

Afonso V... longe das invenções de Humberto Nuno Oliveira

Afonso V... longe das invenções de Humberto Nuno Oliveira

via nonas by nonas on 7/26/10
Afonso V... longe das invenções
Alheio às polémicas que nestes anos de desacerto socialista vêm marcando a sua direcção, o Museu Nacional de Arte Antiga apresenta-nos uma notável exposição, patente até 12 de Setembro, embora com alguma reserva minha quanto ao título (muito politicamente correcto, como convém...) "A Invenção da Glória. D. Afonso V e as Tapeçarias de Pastrana", como se a glória africana do Rei D. Afonso V, reconhecida por toda a Europa do seu tempo, carecesse de ser "inventada". 

É a primeira vez, que as quatro Tapeçarias encomendadas por D. Afonso V em Tournai (na Flandres), quatro enormes panos de armar com quatro metros de altura por dez de largura, são expostas entre nós. Ocasião, pois, que nenhum Português cioso do seu passado deve perder. Numa época em que tal era inédito, foi este o modo pelo qual, D. Afonso V entendeu legar para a posteridade uma imagem dos seus feitos de 1471 em Arzila e Tânger. Ler mais

segunda-feira, 26 de julho de 2010

A RESPEITO DOS AMIGOS

Trata-se de um texto extraído de uma psicografia do espírita Divaldo Franco. 

Uma noite, num ano entre 1966 e 1969  assisti nos jardins fechados do Palácio do Governo de Luanda a uma palestra inolvidável proferida pelo já famoso orador Divaldo Franco. Ele começou o seu discurso  com a frase "Deus morreu" mas queria dizer precisamente o contrário. Uma peça de literatura e de oratória extraordinária que eu gostaria imenso de rever. Será que existe uma gravação?   
Rui Moio

Fonte: «Redação do Momento Espírita, com base no cap. 32, do livro Legado Kardequiano, pelo Espírito Marco Prisco, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.» in Blogue "Sedimentos"... - post de 19Jul2010

A RESPEITO DOS AMIGOS

via Sedimentos... on 7/19/10

É fácil conquistar amigos. Basta uma tarde tranquila em local aprazível, na natureza, para se dispor à troca de gentilezas e a um bate papo amistoso. Trocam-se endereços, números de telefones, marcam-se outros encontros.
Programam-se idas ao teatro, um passeio mais demorado no final de semana com as crianças que, afinal, têm idades próximas.
É fácil iniciar novas amizades. Basta um pouco de gentileza e um sorriso, um aperto de mão, a quebra do gelo. Ler mais



Os Anos da guerra, 1961-1975: os portugueses em Africa : crónica, ficção e ....

Os Anos da guerra, 1961-1975: os portugueses em Africa : crónica, ficção e ... Por João de Melo

Os diários de Salazar

Os diários de Salazar

via nonas by nonas on 7/22/10









(Clicar nas imagens para aumentar)

sábado, 24 de julho de 2010

Rede social em negócios - o que se deve ou não fazer

As redes sociais são hoje uma necessidade imperiosa para todos aqueles que queiram desenvolver um negócio. Neste quadro indica-se o que se deve ou não fazer para que possamos tirar o melhor aproveitamento desta nova ferramenta de gestão de negócios (alargamento de redes sociais).
Rui Moio

Obs: clique sobre a imagem para a aumentar
Do's and Don'ts of Social Media for Business
Via: The Steel Method

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Salazar: Misa tridentina em Buenos Aires

Vamos todos lá estar, fisicamente ou em espírito, para homenagearmos um homem com H grande que não traíu a Pátria, que não matou a Nação! Um Homem que preencheu a vida com Dignidade e Honra e que, pelo exemplo, fez-nos acreditar que a Pátria Portuguesa era de dimensões continentais e que a sua e nossa Nação era constituída por homens de todas as latitudes em que a grande maioria era feita de gente da têmpera dos verdadeiros heróis nacionais, como foram os Albuquerques, os Gugunhanas, os Aleixos Corte-Reais, os Mandumes, os Marcelinos da Mata, os João Bakar Djaló, os Daniel Roxo... Glória para sempre aos nossos maiores que souberam ser portugueses e lutar por isso.
Rui Moio

Salazar: Misa tridentina em Buenos Aires

via Euro-Ultramarino by noreply@blogger.com (Euro-Ultramarino) on 7/20/10

Misa en el cuadragésimo aniversario de la muerte del
Profesor António de Oliveira Salazar

El próximo martes 27 de julio, al cumplirse 40 años de la muerte del Profesor António de Oliveira Salazar, insigne pensador y estadista portugués, modelo de gobernante católico, se hará celebrar una Santa Misa, ese mismo día, a las 19 hrs, en la Capilla Nuestra Señora Mediadora de Todas las Gracias, de la Fraternidad San Pío X, Venezuela 1320 (1095), Ciudad Autónoma de Buenos Aires.

"Hipnose e Ansiedade"


via Hipnozz by Mário Rui Santos on 7/19/10





A Editora Ariana e o autor têm o prazer de o convidar para o lançamento do livro "HIPNOSE E ANSIEDADE - Reencontre o seu estado natural de Tranquilidade" de Mário Rui Santos.

O evento tem lugar dia 24 de Julho (sábado) de 2010 pelas 18h na
Galeria Abraço, situada na Rua do Poço do Borratém nº 39 à Praça da Figueira em Lisboa.

O autor apresenta a obra.


(mais info)

terça-feira, 20 de julho de 2010

Filipe Zau: O velho tribalismo e o moderno clientelismo

via Lusofonia Horizontal by Daniel on 7/19/10


A seguir, artigo publicado no Jornal de Angola da última sexta-feira, 16 de Julho de 2010:


O velho tribalismo e o moderno clientelismo

Filipe Zau*

A propósito da morte do jornalista, escritor e historiador inglês Basil Davidson, revisitei um dos últimos trabalhos, que, em língua portuguesa, surgiu sob o título "O Fardo do Homem Negro – Os efeitos do Estado-Nação em África", uma edição angolana da Associação Chá de Caxinde.

Sobre a questão étnica africana, Basil Davidson afirma que num sentido histórico bastante lato, "o tribalismo tem sido usado para exprimir a solidariedade e as lealdades comuns de pessoas que partilham entre si um país e uma cultura". Citando Crawford Young, considerou inócuo o tribalismo antigo e ao clientelismo de Estado apelida-o de moderno "tribalismo" em África. Para Young, um professor de Ciência Política da Universidade de Wisconsin (Madison, EUA), que, em 1963, publicou um estudo sobre a experiência da edificação do estado-nação na actual República Democrática do Congo, as questões étnicas ligadas ao tribalismo sempre existiram em África ou em qualquer outro lugar. Para Davidson o tribalismo tem sido, muitas vezes, uma força do bem, que cria uma sociedade civil dependente de leis e de um Estado de Direito. Daí que, neste sentido, o conceito de "tribalismo", para ele, pouco divirja, na prática, do conceito de "nacionalismo". Ler mais

M227 - RANGER Mexia Alves no jornal Correio da Manhã. de 27 de Junho de 2010

M227 - RANGER Mexia Alves no jornal Correio da Manhã. de 27 de Junho de 2010

via COISASDOMR by Eduardo J. Magalhães Ribeiro on 7/17/10

O RANGER Joaquim Mexia Alves, cumpriu a sua comissão militar nas Guiné nos anos de 1971 a 1973, e no passado dia 27 de Junho de 2010, o jornal Correio da Manhã, na série inserida na revista com o título: "A minha guerra", publicou uma reportagem que, com a devida vénia e agradecimento, reproduzimos a seguir:
"Portugal desprezou soldados africanos"
Quando a guerra acabou, os homens das forças africanas foram fuzilados, presos ou agredidos pelas autoridades locais. 
"Entrei para a recruta no Quartel de Mafra em Janeiro de 1971, finda a qual fui "escolhido voluntariamente" para me apresentar em Lamego onde fiz a especialidade de Operações Especiais, vulgo, Rangers. Ler mais

domingo, 18 de julho de 2010

Caminho de Ferro vai melhorar desenvolvimento do Kuando Kubango

Nota
Há o Sud-Express, há o Express Orient, há o transiberiano, há o comboio do Cairo a Luxor!... 

Em Angola tínhamos o CCB-Caminho de Ferro de Benguela - comboio mala, o CFM-Caminho de Ferro de Moçamedes, a bitola estreita de apenas uns 120 quilómetros de Sá da Bandeira ao Chiange!... 
Linhas férreas desta envergadura poucas mais há no mundo todo.

Que pena tenho de nunca ter experimentado o troço de Sá da Bandeira a Serpa Pinto com "apenas" 700 quilómetros!... Infelizmente, o 25 de Abril chegou primeiro!... 
Rui Moio

Caminho de Ferro vai melhorar desenvolvimento do Kuando Kubango

via Leste de Angola by Jorge Santos - Op.Cripto on 7/17/10

Lubango, 18.Julho – O vice-ministro dos Transportes, José João Kuvíngua acredita que os serviços do Caminho-de-Ferro de Moçâmedes (CFM), podem acelerar o desenvolvimento económico do Kuando Kubango e melhorar o nível de vida dos seus habitantes....

Basil Davidson, o jornalista que quis libertar África


Li alguns dos livros de Basil Davidson, nomeadamente, os relacionados com a História de África. Apreciei e aprecio este autor que me deu uma panorâmica cultural nova sobre a cultura africana e a História de África. Por isto, admiro-o e tenho-o em muita consideração.

Uma outra coisa é este homem ter-se colocado ao lado dos líderes dos movimentos africanos anti-portugueses; Amílcar Cabral, Agostinho Neto, Eduardo Mondlane e Samora Machel. Visitou os guerrilheiros dos movimentos pró-soviéticos em campanha e promoveu-os na imprensa britânica e mundial. Foi inimigo de Portugal, da Portugalidade, da Nação Portuguesa. Por isto, não o tenho como meu amigo ou amigo da Nação Portuguesa no seu todo pluriracial e pluricontinental.

É profundamente lamentável que em 2002, o então Presidente da República de Portugal, Jorge Sampaio, o tenha condecorado em Londres com o grau de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique por “serviços prestados a Portugal e à expansão dos valores da cultura portuguesa”.

Ironia do destino e profunda vergonha nacional que este homem, David Davidson, tenha sido condecorado com uma medalha que leva o nome do Infante D. Henrique e que a razão da condecoração tenha sido por "serviços prestados a Portugal e à expansão dos valores da cultura portuguesa". Uma medalha de grande prestígio, que noutros tempos, honrou gente de grande valor e de coragem dentro da esfera da portugalidade!

Não foi precisamente o contrário que ele fez? Onde chegaste, meu povo, minha Nação? Tanta mentira!...
Rui Moio

Basil Davidson, o jornalista que quis libertar África

via Angola: os poetas by kinaxixi on 7/17/10
Sérgio C. Andrade (in jornal "O Público, 17.07.2010)



Jornalista britânico foi também agente secreto, herói da Segunda Guerra Mundial e o europeu que deu voz às lutas dos povos africanos contra o colonialismo, sobretudo o português Ler Mais


Falecimento de Basil Davidson

Falecimento de Basil Davidson

via Lusofonia Horizontal by Daniel on 7/17/10

A morte do controverso jornalista, historiador, ensaísta político e grande conhecedor das culturas dos países africanos de língua portuguesa, com a idade avançada de 95 anos, foi destaque recente no obituário feito pelo britânico The Guardian (clicar aqui).


Um pequeno resumo: Homem de espírito inquieto, já aos 16 anos abandonou a escola porque queria ser escritor. Durante a Segunda Guerra, esteve associado ao Destacamento de Operações Especiais dos Aliados, e depois ao lado das guerrilhas iugoslavas de Josip Tito. Conheceu a fundo o processo de formação do Estado de Gana, sob a liderança de Kwame Nkrumah. Mais tarde, ainda nos anos 6o, chegará a ser um dos primeiros jornalistas estrangeiros a acompanhar as guerrilhas anticoloniais em Angola e na Guiné-Bissau. Em solo africano, reiterou sua afeição ao espírito de camaradagem, de senso de verdade e a força de espírito a serviço de elevados ideais, antes polidas a duras penas nos Bálcãs. Apresentou ao mundo algumas realidades dos colonialismos e do apartheid, com suas reportagens e seus livros. Em Cuba, nos anos 80, criticou pessoalmente o apoio de Fidel Castro ao coronel Mengitsu, da Etiópia, cujas tropas primeiro surraram o Exército somali do invasor Siad Barré e depois sufocaram o movimento separatista da Eritreia. E, ainda nos anos 80, dedicou-se a teorizar o que havia visto sobre a política africana. Embora não fosse exatamente um marxista, foi também um dos intelectuais ligados ao amplo movimento da New Left britânica, ao lado de seus amigos Thomas Hodgkin, E. P. Thompson e Eric Hobsbawm. Trabalhou em diversos jornais ingleses e chegou a participar de uma série de televisão, sobre história. Recebeu condecorações de várias universidades, inclusive em Portugal e Cabo Verde.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

A MORTE DO OUVIDOR

via Livro di Téra by BMF on 7/16/10


A 28 de Fevereiro de 1764 é preso em Santiago, Cabo Verde, o coronel António de Barros Bezerra de Oliveira, e com ele nove cúmplices, acusados de terem assassinado o ouvidor João Vieira de Andrade. Transportados para Lisboa, são julgados e condenados à morte, e enforcados no Rossio. As cabeças são cortadas e enviadas para Santiago, para serem espetadas em paus e exibidas em público. A Morte do Ouvidor é um romance histórico que se centra neste acontecimento e que o relata em todos os pormenores, dando um quadro muito vivo da vida na colónia de Cabo Verde no tempo do Marquês de Pombal.

GERMANO ALMEIDA é o mais importante escritor cabo-verdiano vivo. Dele a Caminho publicou vários romances.

Autor: Germano Almeida

Editor: Editorial Caminho
Colecção: "Outras Margens"
Ano de edição: 2010

quarta-feira, 14 de julho de 2010

5 técnicas e processos que utilizo para aumentar a produtividade

5 técnicas e processos que utilizo para aumentar a produtividade

via Insistimento by Marcos Rezende on 7/13/10
O meu volume de trabalho aumentou bastante nos últimos dois meses e com isso a valorização de técnicas e processos para melhorar o meu desempenho na execução das tarefas e tornar-me mais produtivo na gestão do meu tempo também. Além disso, percebo um gargalo muito grande na produtividade e na gestão do tempo de quem ainda é pequeno e não ultrapassou aquele limite invisível que o separa as pequenas, das médios e grandes empresas. Falta de tempo, estresse, acúmulo de tarefas urgentes e inexistência de planejamento estratégico fazem a maioria das empresas afundar ou, pelo menos, não faturar como esperado. O que fazer então para melhorar o desempenho na gestão do seu tempo e da sua produtividade sem perder a qualidade de vida? Neste artigo, introduzo uma parte das técnicas e processos que utilizo diariamente para manter-me focado na execução das minhas atividades, gerindo com eficiência ao máximo o meu tempo, que podem estar fazendo falta àqueles que almejam produzir mais e melhor com menos esforço. Ler mais

Livro: Homens, Espadas e Tomates de Rainer Daehnhardt

Livro: Homens, Espadas e Tomates de Rainer Daehnhardt

via nonas by nonas on 7/12/10



A Zéfiro lançou no mercado este magnífico livro Homens, Espadas e Tomates de Rainer Daehnhardt com mais de 12.000 exemplares vendidos.
Este livro que relata episódios de feitos heróicos dos Portugueses dos Descobrimentos acaba por ser uma verdadeira afronta aos portuguesinhos de hoje que deviam ler e meditar sobre a Heroicidade da gesta de Quinhentos em contraposição aos dias de hoje.
Número de Páginas - 288.
PVP - 20€
A Batalha de Ormuz
Pintura de Mestre Carlos Alberto Santos

Livro: Qual de nós terá razão de Silvino Silvério Marques

Livro: Qual de nós terá razão de Silvino Silvério Marques

via nonas by nonas on 7/11/10



Contracapa da obra de Silvino Silvério Marques
Número de páginas - 220
PVP - 15€
Prefácio Editora
R. Pinheiro Chagas 19 – 1º - 1050-174 Lisboa
tel.: 21-314 33 78 fax: 21-314 33 80
email: editora.prefacio@mail.telepac.pt

Hospital do Alto-Zambeze regista várias patologias

via Leste de Angola by Jorge Santos - Op.Cripto on 7/14/10

Luena, 15.Fevereiro - O hospital municipal do Alto-Zambeze e os postos de acolhimento registam diariamente vários casos de malária, doenças diarreicas e respiratórias agudas, como consequência das fortes chuvas que se registam na região, disse hoje, o responsável da saúde,...

terça-feira, 13 de julho de 2010

Formações colunares de basalto

via A Matéria do Tempo by Fernando Ribeiro on 7/11/10

Rocha dos Bordões, Ilha das Flores, Açores (Foto: Rafaela Pereira)

O basalto é uma rocha de origem vulcânica muito dura, de cor negra, cinzenta ou verde escura, que resulta da solidificação rápida de lava em contacto com a atmosfera, por ocasião de erupções vulcânicas. Como solidificou rapidamente, o material que compõe esta rocha não teve tempo para cristalizar a um ponto tal que os seus cristais possam ser vistos a olho nu. O basalto apresenta, portanto, uma textura lisa ou granulada muito fina. Ler Mais

quarta-feira, 7 de julho de 2010

O Debate Sobre o Holocausto Entre Otto Perge e o Dr. Laszlo Karsai na Hungri...


via Revisionismo by Johnny Drake on 7/6/10
O Debate Sobre o Holocausto Entre Otto Perge e o Dr. Laszlo Karsai na Hungria (I)
O Debate Sobre o Holocausto Entre Otto Perge e o Dr. Laszlo Karsai na Hungria (II)
O Debate Sobre o Holocausto Entre Otto Perge e o Dr. Laszlo Karsai na Hungria (III)
O Debate Sobre o Holocausto Entre Otto Perge e o Dr. Laszlo Karsai na Hungria (IV)
O Debate Sobre o Holocausto Entre Otto Perge e o Dr. Laszlo Karsai na Hungria (V)
O Debate Sobre o Holocausto Entre Otto Perge e o Dr. Laszlo Karsai na Hungria (VI)
O Debate Sobre o Holocausto Entre Otto Perge e o Dr. Laszlo Karsai na Hungria (VII)

(CONTINUAÇÃO)








Argumento 5: Paul Wurm escreveu uma carta a Franz Rademacher na qual declarava que os Judeus seriam assassinados "com métodos especiais".









Resposta: A 23 de Outubro de 1941, Paul Wurm, membro da Anti-Jewish World League [Liga Mundial Anti-Judaica], escreveu a Franz Rademacher: "Na minha viagem de regresso a Berlim, conheci um antigo camarada de partido que estava a trabalhar na solução para a questão Judaica a Leste. Num futuro próximo, muitos dos vermes dos Judeus serão aniquilados através de métodos especiais" ("In nächster Zeit wird von dem jüdischen Ungeziefer durch besondere Massnahmen manches vernichtet werden"). 



























Deve ser referido que este não é um documento oficial. Paul Wurm, que era um completa nulidade e que não tinha qualquer influência na política de liderança Alemã, nem sequer mencionou o nome do "antigo camarada de partido" a quem ele dirigia esta mesma informação! Dadas estas circunstâncias, a sua carta prova muito pouco.





É evidente que isso não significa que nenhum Judeu tenha sido morto na Frente Leste; nenhum revisionista alguma vez fez tal absurda afirmação. Os revisionistas, basicamente, contestam duas coisas:

1) Que existiu uma política para assassinar todos os Judeus por causa da sua raça e/ou religião.

2) Que o número de Judeus assassinados a Leste tivesse sido tão elevado como os historiadores do "holocausto" referem (2,2 milhões, de acordo com H. Krausnick e H. H. Wilhelm[49], 1,3 milhões de acordo com R. Hilberg[50]). Uma vez que não existem documentos credíveis (como veremos mais tarde, os relatórios Einsatzgruppen são altamente suspeitos), o número real não pode ser determinado sem que apareçam novas provas.



Argumento 6: Por que é que a emigração Judaica nos países controlados pela Alemanha foi proibida passou a ser proibida em Outubro de 1941? Obviamente porque os Nazis pretendiam exterminar os Judeus!


Resposta: Se os Judeus fossem autorizados a emigrar naturalmente que eles iriam apoiar o esforço de guerra dos Aliados como soldados, técnicos e cientistas. Esse foi principalmente o objectivo dos Alemães.



Argumento 7: O padre francês Patrick Desbois localizou mais de 600 sepulturas em massa com Judeus assassinados na Ucrânia. Isto é uma forte prova da realidade do Holocausto.


Resposta: No sentido de avaliar o livro de Patrick Desbois sobre o "holocausto através das balas" [51], não podemos fazer mais do que referir aquilo que dois revisionistas franceses, Vincent Reynourd e o Prof. Robert Faurisson, escreveram sobre este assunto com o título "Father Desbois is one hell of a prankster" ["O Padre Desbois é um travesso dos Diabos"] :

















Vincent Reynouard: "As alegadas sepulturas em massa não foram escavadas nem nunca o virão a ser. […] As pessoas que dizem ter descoberto as 'sepulturas em massa' não efectuaram, na realidade, quaisquer escavações e, deste modo, não existe nenhum inventório dos restos mortais, nenhuma verificação, certificação ou forense ou física ou material, realizada em inquérito após esta descoberta a um único cadáver ou esqueleto. Nenhum polícia ou oficial de justiça esteve em algum dos locais para fazer um exame sequer. […] Duas associações Judaicas […] trataram de arranjar 'testemunhos' […] Aldeões ucranianos, juntos para a ocasião, são filmados a darem os seus relatos sobre o assunto. Como consequência disto, apenas as partes desses relatos que interessam serão escolhidas . […] Mas, voltando às alegadas sepulturas em massa, como é o valor de um testemunho pode ser avaliado se a realidade material dos factos não foi estabelecida de antemão". [52]



















Robert Faurisson: "Estas supostas sepulturas em massa não serão abertas; não serão no disinternment ou qualquer material de verificação será utilizados, tudo sobre a pretence de que a religião Judaica proíbe que se toque nos cadáveres de Judeus; no entanto, basta olharmos para a Enciclopédia Judaica (1978) na entrada 'Autópsias' (plural) e 'Dissecação' (Singular) para ver que não existe qualquer proibição." [53]

(CONTINUA)


sábado, 3 de julho de 2010

A resistência de um GE

via Caçadores 3441 by Egidio Cardoso on 7/2/10

Na guerra colonial em qualquer dos territórios das antigas províncias ultramarinas, o exército português contou sempre com o apoio de grupos recrutados entre a população nativa.
O objectivo era óbvio. Envolver as populações no esforço de guerra e dar-lhes importância eram formas de arregimentar homens que, a não ser assim, poderiam engrossar as hostes dos guerrilheiros.
Ler mais




quinta-feira, 1 de julho de 2010

Produtividade de Rui Moio (semana de 20-26Jun2010)

Nota explicativa dos quadros-gráficos representativos da actividade internautica de Rui Moio na semana de 20-26Jun2010

Nos sete dias da semana de 20-26Jun2010 trabalharam-se 37h 09m, o que dá uma média de perto de 6h diárias.
No gráfico produtividade (Produtivity) constata-se que foram utilizadas em acções produtivas a maior parte das horas de trabalho: pela página do Rescue Time verificou-se que foram utilizadas 34h 59m em acções produtivas, 1h 13m em acções muito produtivas, 51m 28s em acções neutrais e não foi gasto tempo em acções de distração.
Pelo gráfico All Categories (Todas as categorias) é-nos apresentada gráficamente a produtividade relativa entre a utilização dos Browsers, a utilização do e-mail e o tempo gasto em actividades de escrita no MS Word e no WordPad. Pelo RescueTime são-nos indicados os seguintes tempos:

- Browsers - 29h 38m
- e-mail - 4h 40m
- escrita - 1h 09m

Nos sete dias da semana foram atingidos todos os objectivos estabelecidos no plano de operações.

Rui Moio

OBS: Click na imagem para a aumentar.
Fonte: Site "RescueTime" - página de Rui Moio

Related Posts with Thumbnails