terça-feira, 29 de setembro de 2009

Uma suave impressão de caos

via Entre as brumas da memória de Joana Lopes em 29/09/09
País apaixonado pelas lonjuras e pelas distâncias, sempre em busca de outras paragens, com gente que não gosta de conviver na rua, onde amigos vivem décadas sem se tratar por tu, «uma suave impressão de caos como a que se sente numa loja de antiguidades» – é Portugal visto de Madrid ou até de Badajoz, num polémico e divertido artigo publicado em La Vanguardia.Os portugueses serão «ricos pobres»

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

A biblioteca esquecida de Hitler

via universidade de Gil Gonçalves em 09/09/09

Em A biblioteca esquecida de Hitler,Timothy Ryback mapeia as leituras do ditador alemão, destacando os autores e obras que exerceram maior influência sobre a formação do Führer.

Sabe-se que as três bibliotecas particulares de Adolf Hitler, localizadas em Berlim, Munique e no refúgio de Obersalzberg, nos Alpes bávaros, chegaram a abrigar mais de 16 mil volumes. O mais enigmático dos genocidas do século xx possuía coleções completas de Shakespeare, Goethe, Schiller, Kant e Fichte, encadernadas com ostensivo luxo e assinaladas com o característico ex-libris nacional-socialista. Livros sobre ocultismo e misticismo racial também despertavam a atenção do leitor assíduo, porém caótico, que se vangloriava de ler ao menos um livro por dia.

Timothy W. Ryback, autor de The last survivor: legacies of Dachau, premiado em 2003 com oHans Rosenberg Book Prize,dá merecido destaque aos livros que influenciaram a escrita de Mein Kampf na célebre prisão de Landsberg, depois do putsch frustrado de 1923, mas não deixa de mencionar curiosos volumes presenteados por admiradores e bajuladores, trechos assinalados por Hitler nas margens dos livros ou detalhes como a presença física do ditador num fio de cabelo encontrado em meio às páginas envelhecidas. Durante oito anos de incansável pesquisa em coleções públicas e particulares nos Estados Unidos e na Europa, Ryback rastreou desde os livros lidos pelo obscuro cabo-mensageiro Hitler, nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial, até as consoladoras leituras dos dias finais no bunker de Berlim, em 1945. O trabalho do historiador e diplomata norte-americano foi altamente elogiado por Ian Kershaw, o maior especialista em Adolf Hitler da atualidade.

http://www.americanas.com.br/AcomProd/1472/2755906

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Zala - [Zacarias Ngundu - Um combatente medalhado]


Henrique Carvalho Sat 01 Nov 2008 22:21
Nasceu um pequita, (uma criança)
«Era grande a gritaria manhã cedo entre a Sanzala e a enfermaria militar. A cozinha da CCS ficava nesse caminho e o dormitório dos cozinheiros anexado. Acordados pelo ruído, saltamos da cama de arma em punho e estiramos junto ao muro à espera da primeira morteirada, entretanto, passa o célebre Zacarias acompanhado de uma mulher e levantei a cabeça para lhe perguntar: -Zacarias que se passa? Respondei a senhora: -Não preocupa nosso cabo, eu pari. Ao pequeno-almoço diz-me o ex-dentista, então enfermeiro e parteiro. A mulher e dez minutos pariu a foi-se embora. Era assim aquela gente, ou a natureza funcionava, ou o misticismo entrava em campo quantas vezes acabando mal. Radioso o Zacarias apareceu na cozinha e exclama: Minha sexta mulher deu os meu doze ou catorze? filho….Não lembro bem. Um abraço de: Henrique Carvalho»

Nota. Transcrição de um comentário de Henrique Carvalho.
Aqui, o comentarista refere-se ao grande combatente angolano-português Zacarias. Zacarias, que tive a honra de conhecer pessoalmente quando estive no Zala e que é descrito no romance "O Fim do Império" como o personagem "Tenente Zacarias Ngundu". Neste romance o Tenente Zacarias confessa ter sido um dos matadores de Lumumba quando pertencia às hostes da UPA. Depois, integrou-se no exército português com muitos dos seus homens. Disseram-me que foi morto em Luanda imediatamente antes ou depois de proclamada a independência.
Rui Moio

terça-feira, 22 de setembro de 2009

A identidade perdida

via Aerograma de Afonso Loureiro em 17/09/09

As circunstâncias em que meio milhão de portugueses deixou África não permitiram uma transição suave entre as duas vidas. De um dia para o outro, amigos, casas, empregos e paisagens mudaram completamente. A única vida que conheciam eclipsou-se sem deixar rasto no fim de uma ponte aérea. Muitos separam a vida em duas épocas distintas, o antes e o depois. Grande parte não teve remédio senão adaptar-se às novas circunstâncias, outros nunca o conseguiram.

Hoje em dia, apesar de já não se falar tanto nisso, os retornados ainda procuram saber quem são, porque a sua identidade e referências ficaram lá em África, enterradas num passado que os outros querem esquecer.

Graças ao Aerograma, tenho-me apercebido de que as saudades não esmorecem. Uma parte significativa das novas visitas que recebe são de pessoas que procuram referências do passado ou que tentam reavivar memórias. Muitos procuram-se a si mesmos, provavelmente porque ainda não compreendem bem a cambalhota que a vida deu há mais de trinta anos.

Há ainda os descendentes desta geração que viu a sua terra tornar-se estrangeira e que se sentem estrangeiros na terra que agora dizem ser sua. Estes últimos buscam confirmação das histórias contadas pelos pais, talvez para tentar perceber tudo aquilo que não faz sentido.

Por muito que me esforce, sou incapaz de imaginar o que será perder a identidade desta forma abrupta. Mas já me dou por feliz se a minha visão de Angola puder ajudar alguém.

Angola Press - Transporte - Lançada estrutura metálica da ponte ...

Trata-se da nova ponte sobre o rio Zambeze nas imediações de Cazombo. Não sei até que ponto foi aproveitada alguma da estrutura da ponte Craveiro Lopes destruída durante a guerra civil.
Creio que há um erro no texto ao se indicar que o tabuleiro suporte 70 toneladas. Apenas 70 toneladas? O peso de uma camioneta carregada!?
Rui Moio
Angola Press - Transporte - Lançada estrutura metálica da ponte ...
via cazombo - Pesquisa SAPO de crawlersapo <crawler@co.sapo.pt> em 18/09/09
A ponte vai facilitar o fluxo rodoviário nos sentidos Cazombo/Luau e Cazombo-Zâmbia e vice-versa. Até à data, a travessia do rio era efectuada com imensas dificuldades.

O chefe do kimbo

via Caçadores 3441 de Gabriel Costa em 17/09/09
Este era o lídimo representante da soberania de Portugal no kimbo da N'Riquinha: Sekulo Sarikissi





































As estradas e pontes que estão a mudar o Leste

via Leste de Angola de Jorge Santos - Op.Cripto em 19/09/09
A nova rede viária inclui as estradas internacionais para a Zâmbia e o Congo Democrático, segundo se pode ler no «Jornal de Angola». Domingos dos Santos (Texto) - Dombele Bernardo (Fotografia)...

Histórias da Guerra Colonial em Alverca

via Leste de Angola de Jorge Santos - Op.Cripto em 20/09/09
Aniceto Afonso, antigo director do Arquivo Historico-Militar (AHM), autor do livro "O meu Avô Africano", vai estar na Biblioteca Municipal de Alverca, no dia 26 de Setembro, pelas 15:30 horas, para falar sobre a Guerra Colonial. A conversa insere-se na...

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

At Last! First Real Evidence for a Rocky Exoplanet

via Wired Top Stories de Hadley Legget em 16/09/09
There's finally proof that Earth-like planets can exist outside our solar system: Scientists manage to measure the mass of exoplanet COROT-7b, revealing that it's the first exoplanet with a confirmed density similar to ours.

domingo, 20 de setembro de 2009

10 sites para baixar e converter vídeos grátis

via 365 Dias de Fabio Santos em 19/09/09

Para aqueles que procuram sites para converter vídeos online, uma ótima solução. O 365 dias selecionou uma lista especial com 10 sites para converter vídeos grátis.

Você pode enviar de seu computador ou baixar de sites como o You Tube, já convertido. Confira abaixo a lista especial:

  • Movavi Online: Uma versão online do consagrado conversor de vídeos Movavi. É possível enviar de seu computador ou baixar online já convertido. Há a opção de extrair o áudio dos vídeos, em formato mp3. Acesse o Movavi aqui.
  • Media Convert: Uma infinidade de opções para converter seus arquivos. É possível configurar formato de entrada e saída, com diversas opções. É possível enviar vídeos do computador ou a partir de uma url. Se cadastrando, pode receber o aviso da conversão por email. Conheça mais sobre o Media Convert aqui.
  • Zamzar: Já tinha apresentado este site, mas vale apresentar novamente. É um conversor múltiplo de arquivos. Neste site é possível converter vídeos, documentos, imagens, músicas e outros formatos de compactação. Basta upar o arquivo, escolher o formato de saída, inserir o email e em alguns minutos você recebe o link em seu email para baixar o arqquivo convertido. Conheça o Zamzar aqui.
  • Media Converter: Um bom conversor online, onde é possível enviar arquivos do computador, a partir de uam url, ou navegando pelo You Tube. Há um limite de 5 conversões diárias. Suporta vídeos de uma diversidade de sites, protocolos e formatos de alta definição. Para os usuários do Firefox, há um plugin disponível. Conheça o Media Converter aqui.
  • Vixy: Um prático conversor de vídeos online. Há 5 opções disponíveis, incluindo audio e vídeo. Dispõe de conversor para desktop. Conheça o Vixy aqui.
  • Cellsea: Conversor que suporta 10 dos mais conhecidos formatos de vídeo. Há um limite de 25 MB por aquivo convertido. É possível enviar vídeos do computador ou de sites vídeos como You Tube, Metacafe, Dailymotion entre outros. Conheça o Cellsea aqui.
  • KeepVid: Site bastante conhecido, permite baixar vídeos do YouTube e converter em diversos formatos, como wmv e flv. É interativo e fácil de utilizar. Conheça o KeepVid aqui.
  • Tubeminator: Permite baixar vídeos de uma infinidade de sites e convertê-los. É possível enviar vídeos do computador de até 100 MB e também converter. Conheça o Tubeminator aqui.
  • You Convert it: Multi conversor de arquivos. Como o Zamzar permite a conversão não apenas de vídeos, mas também de músicas, documentos, imagens e arquivos. Conheça o You Convert it aqui.
  • Convert Direct: Conversor de vídeos FLV (basicamente tudo que existe no you tube), para uma infinidade de formatos. Conheça o Covert Direct aqui.
Siga o @blog365dias no twitter. Ganhe brindes facilmente com a Qualibest.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Superfície de menor planeta fora do Sistema Solar é rochosa, dizem cientistas

Alguns dados do exoplaneta CoRoT-7b descoberto no passado mês de Fevereiro de 2009.

Rui Moio

«Mas o planeta citado no estudo de hoje - chamado pelo singelo nome CoRoT-7b - é diferente. Ele completa uma órbita a cada 20 horas, a uma distância de apenas 2,5 milhões de quilômetros da sua estrela. Sua temperatura oscila entre 1.000ºC e 1.500ºC, o que significa que não pode abrigar vida. Seu raio é cerca de 80% maior que o da Terra.»

Fonte: FolhaOnline de 16Set2009

Minhas impressões sobre The Zero Hour Workweek

via Insistimento de Marcos Rezende em 15/09/09

Essa semana o Jonathan do blog Illuminated Mind publicou seu novo e-book chamado The Zero Hour Workweek, algo como A Semana de Trabalho de Zero Horas em português. Eu sempre li o blog, mas nunca tinha lido algum de seus livros e, como o título deste livro em especial me chamou a atenção, resolvi fazer o download dele e publicar aqui meus comentários. Quem quiser, pode fazer o download gratuito através do link publicado neste artigo no blog do Jonathan.

  • Domesticação humana e responsabilidade
    Assim como eu, Jonathan faz referências à domesticação humana só que fez um link formidável com a responsabilidade, pois diz que "é como se chegássemos em um certo ponto da vida onde precisamos ser responsáveis, parar de ter alegria e diversão para sermos mais sérios". Muito interessante isso, pois em meu trabalho como coach, uma das principais tarefas dos meus clientes é a de resgatar os motivos e razões que lhes davam alegria quando crianças.
  • A maioria das mentes está alugada
    "Se você não escolhe o seu propósito, alguém o fará por você." Jonathan cita que devido ao fato de precisarmos de dinheiro para comer, vestir e pagar o teto sobre nossas cabeças, passamos a encarar como confortável o fato de alguém ter tido uma idéia melhor para o tempo das nossas vidas do que nós mesmos. Assim como ele, eu acredito que quando procuramos um emprego ou um cliente por dinheiro, apenas nos adaptamos a uma idéia que alguém teve e resolvemos alugar nosso tempo e nossa mente em troca de um cheque no final do mês.
  • Defina a mensagem que você quer passar para o mundo.
    É muito comum ver pessoas indo atrás de objetivos mal definidos que não as satisfazem totalmente e diariamente. Não é à toa que muitas delas ainda continuam se perguntando o que fazer com suas vidas. Aliás, devo me colocar neste meio, pois eu continuo acertando a minha bússola diariamente. A diferença é que uns já sabem que é muito importante definir um objetivo que seja profundo e satisfaça totalmente quem o definiu e mais: o realize diariamente.
  • Como você sabe o que o seu público quer?
    É uma pergunta muito perspicaz essa, pois como o próprio Jonathan diz a maioria das pessoas tenta ler a mente dos seus clientes por se considerar um expert ao invés de perguntar a eles o que querem. Tentar ler a mente dos clientes é um erro grave e como Steve Jobs recomenda, é melhor melhorar as funcionalidades já existente em um produto do que criar funcionalidades novas.
  • Dono de um negócio primeiro, depois blogueiro.
    Muitos são os blogueiros que começam a escrever com a doce ilusão de que irá rentabilizar a sua audiência através de programas AdSense. A mentira se baseia na teoria de que conseguindo cada vez mais público e assinantes, cada vez se terá possibilidades de rentabilizar o blog. No livro é falado muito coerentemente que tudo que você fizer para ajudar a outras pessoas deve ser rentabilizado de uma forma mais inteligente do que AdSende, tais como: consultoria, produtos, serviços, etc.
  • Estudos de caso de gente que faz.
    Uma lista muito boa com exemplos de empreendedores virtuais que fazem acontecer acompanha o livro com dicas super interessantes e ótimas para se colocar em prática de cada um deles. Eu confesso que colocarei muitas em prática aqui no blog, porque sei que peco muito por ainda não considerar este site como um negócio do nível que ele merece ser. Além disso, eu fico pasmo de pensar que o Insistimento me apaixona bem mais do que a minha empresa de desenvolvimento de sites e ainda assim eu não ocupo um tempo satisfatório nele.
  • Você está no survival mode e não no living mode.
    Eu achei muito interessante isso, pois se eu estou fazendo alguma coisa diariamente que não me traz valor, pela qual não tenho paixão e, além disso, não sou bom o suficiente naquilo naturalmente (não tenho talento) estou totalmente desconectado de quem eu sou. Ou seja, vivo na superfície de quem sou em troca de alguns reais depositados no banco. Estamos aqui para viver e não sobreviver. Todos temos as mesmas capacidades, nascemos com talentos e estes continuam lá na nossa infância, presos, estagnados, enfurnados em aglum cúbiculo de alguma empresa igual as outras por aí.
  • Elementos principais da nossa "arma secreta"
    Jonathan diz que todos nós temos uma arma secrete e eu concordo em gênero, número e grau com esta idéia. Além disso, ele delimita quais são os três elementos chave que a compõe: provê aos outros um valor que eles estão dispostos a pagar; está alinhada com nossos talentos naturais ou capacidade que trazemos desde o nascimento; e amamos e conseguimos continuar apaixonados pelo o que fazemos mesmo após três semanas de trabalho duro.

Recomendo o livro para aqueles que não querem viver uma vida ordinária fazendo mais da mesma coisa e só contribuindo com o barulho. Empreender, na minha concepção, é uma ótima ferramenta para conseguir a iluminação total dos seus talentos, pois de nada adianta sair de um CNPJ e entrar em outro somente para fazer o que os outros já estão fazendo.

Enfim, uma frase ficou do livro: "Caminhos são feitos de passos".

Minhas impressões sobre The Zero Hour Workweek é um artigo de Insistimento

Marcos Rezende, empreendedor da área de tecnologia e internet à frente da Noxion Talentos da Informação e coach de pessoas que desejam despertar seus talentos para ser a diferença que desejam para o mundo através do projeto Insistimento.

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Certificados estão abaixo de 1%

«A taxa de juro nos certificados de aforro atingiu novo mínimo histórico. Em Agosto, os certificados da série C, a única que pode ser subscrita, ofereciam uma rendibilidade de 0,959%. É a primeira vez que o rendimento deste instrumento de poupança fica abaixo do 1 por cento.»

Fonte: Correio da Manhã de 13Set2009

domingo, 13 de setembro de 2009

Caminharei na presença do Senhor - canto em Cangamba

A igreja de Cangamba foi inaugurada em 1964 ou 1965. Levantou-se rapidamente, ao lado da avenida antiga de eucaliptos. Veio a guerra russo-cubana e a destruição da airosa vila mas... a semente da religião ficou com os sobreviventes.

Eis aqui um hino ao Senhor à maneira tão bela dos coros gentílicos dos kalutchazes. E a procissão percorre a linda e histórica avenida de eucaliptos...
Rui Moio



Ao fundo, por detrás do Padre de batina branca, vê-se terra vermelha e mato rasteiro e amarelo, talvez pronúncio de se estar na estação seca; o vetusto e majestático palácio do administrador desaparecera, fôra completamente destruído na batalha de Cangamba de 1983.
Pela observação das sombras constata-se que a procissão decorreu de tarde, pois o Sol está a ocidente, para as bandas da nascente do Cubanguí e do mar longínquo.
Rui Moio

Igreja da Cangamba, na sua planta original
Ao lado da torre sineira existiam campas portuguesas muito antigas e deterioradas, provavelmente, de portugueses que ali morreram ao tempo da Capitania-Mór dos Lutchazes.
Rui Moio

Igreja de Cangamba reconstruida - agora com telhado de zinco.
Rui Moio

Fonte: imagens obtidas na net

Bússola

via Escrita em Dia de CN em 20/08/09


Experimentem. É giro participar. Cliquem neste link.



Só não sei se os termos de comparação entre as nossas respostas e as dos vários partidos políticos serão completamente fiáveis. Segundo creio, os promotores desta "bússola eleitoral" basearam-se nos programas partidários para extraírem as respostas dos respectivos partidos às questões colocadas. E são essas "respostas" que, depois, são comparadas com as nossas. Como a coisa não passou por entrevistas directas com dirigentes partidários, temo que algum termo de comparação não seja completamente fiável. Mas não é por isso que esta "bússola" deixa de ter graça. Até porque a piada está na eventual discrepância entre o resultado da "bússola" e a nossa real intenção de voto. A mim, por exemplo, deu-me como "próximo do PS".

Tabella

via Aerograma de Afonso Loureiro em 12/09/09
Numa das esquinas da Igreja do Carmo há uma velha porta de ferro fundido que sempre me intrigou. Passava lá sempre de carro e não conseguia perceber o que tinha escrito.
A curiosidade venceu-me e, um dia, fui de propósito até lá. Assim que percebi o que era, voltei a casa para ir buscar a máquina fotográfica. Pérolas destas são raras e aparecem nos locais mais insuspeitos.
Trata-se de uma tabela dos toques de incêndio que relaciona o número de badaladas com as várias áreas da Luanda de tempos longínquos. Pelo número de locais importantes referido e a sua relativa proximidade, fazemos uma imagem mental de uma cidade muito mais pequena que a actual.
Suspeito que houvesse mais dez placas iguais a esta, mas não faço ideia quantas terão resistido até hoje.
Antiga tabela dos toques de incêndio
Tabela de toques de incêndio
Como o texto custa um pouco a ler, transcrevo-o.
TABELLA
DOS TOQUES DE INCÊNDIO
5 IGREJA DO CORPO SANTO
6 IGREJA DOS REMEDIOS
7 MUTAMBA
8 MERCADO
9 FORTALEZA DE S MIGUEL
10 OBSERVATORIO
11 IGREJA DA MIZERICORDIA
12 HOSPITAL MILITAR
13 ABEGOARIA
14 IGREJA DO CARMO
15 IGREJA DA NAZARE
PARA PARAR 3 BADALADAS
Luanda não deixa de me surpreender. A cada canto se tropeça num pedaço de História.

sábado, 12 de setembro de 2009

15 ANOS DO FIM DO APARTHEID

via DIÁRIO DA ÁFRICA de Diário da África em 01/09/09
ograma Caminhos da Reportagem, da TV Brasil, sobre os 15 anos do fim do apartheid.




















AS DUNAS DE SOSSUSVLEI

Aqui estão as maiores dunas do mundo. Coisa linda!... Um património da natureza!...
Rui Moio

via DIÁRIO DA ÁFRICA de Diário da África em 02/09/09
Como nunca estive no Saara, não tenho como comparar.
Mas ousaria dizer que Sossusvlei é mais do que um deserto.
É uma experiência.

A visão de qualquer uma das dunas protegidas dentro do Parque Nacional é algo de impactante.
O melhor horário para se chegar lá, é claro, é antes de o sol nascer.
Só assim será possível ver a sombra que o raiar do dia lança sobre as dunas.
Com sol alto, fica tudo da mesma cor, sem contraste, sem contorno.

De longe, parece uma serpente do deserto que avança sobre a montanha.
As dunas são montanhas de areia.
A foto não mostra, mas de perto é possível ver uma fina camada de areia que passa de um lado para o outro, dependendo da direção em que sopra o vento.

Os grãos de areia são lançados para um lado pela manhã.
À tarde, quando o vento muda de direção, os grãos retornam para o lado em que estavam mais cedo.
Uma duna nunca é a mesma.
Essas de Sossusvlei não mudam de lugar por causa dessa mudança de direção do vento.
Mas mudam ligeiramente de formato.
Se o vento estiver mais forte, é possível ver a velocidade com que as pegadas deixadas na areia são apagadas.

Uma duna é uma montanha de areia pronta a ser escalada.
E todo mundo escala.
O contraste do céu azul com a areia meio cor de ferrugem lança dúvidas sobre a veracidade da foto.
Terá sido manipulada num photoshop?
Pois não.
As cores são essas mesmas.

E todos parecem caminhar sobre as costas da serpente de areia.
Algumas dunas chegam aos 200, 300 metros.
A sensação é a de quem caminha no fio da navalha.
O ponto em que as areias passam de um lado para o outro lembra uma lâmina.
É preciso equilíbrio para avançar.

O esforço é recompensado por uma breve pausa para admirar um oceano de grãos de areia.
Também há vida por ali.
Camuflada no próprio deserto.


Os mais ousados descem por caminhos menos tradicionais.


Abaixo das dunas, Deadvlei.
Árvores secas centenárias
Rodeadas de areia.
Um dia estarão petrificadas.

Sossusvlei é o coração do deserto do Namibe.
Com alguma sorte, é possível avistar alguns antílopes na região, como o Orix.
Desta vez não conseguimos.
Mas vimos um outro visitante solitário.

Diogo Cam

via Aerograma de Afonso Loureiro em 11/09/09
Coisa curiosa, a maneira como a História é encarada em Angola, especialmente no que toca às referências a Portugal.
A seguir à independência, as estátuas do colono foram retiradas de Luanda. Os símbolos na nova nação não se queriam os mesmos, até porque as referências culturais almejadas eram outras.
As estátuas que foram deixando os pedestais desocupados passaram a conversar umas com as outras em frente à Fortaleza de São Miguel, depois de passearem por um ou outro sítio. A dos Combatentes da Grande Guerra sofreu um destino mais trágico, envolvida em plástico cor-de-rosa e dinamitada para dar lugar a um blindado descomissionado, um monumento à guerra ou ao material militar russo, não sei bem.
Mas em Angola também se travaram batalhas na Primeira Guerra Mundial. Apesar dos massacres nas Ardenas ocuparem a imaginação de todas, a guerra estendeu-se ao Médio Oriente, onde combateu T.E. Lawrence, outra figura mítica, mais conhecido por Lawrence da Arábia, e até mesmo à fronteira de Angola com a Namíbia, na altura uma colónia alemã. Os Combatentes da Grande Guerra não se referem apenas a ideais da metrópole longínqua, mas também a um pedaço de História que decorreu em território angolano.
A estátua de Diogo Cão, o primeiro Português a chegar a Angola, também foi removida, mas o seu pedestal foi deixado intocado. As datas, as quinas do escudo, as coroas e os nomes ficaram lá. A estátua foi desmontada e as várias fatias deixadas junto dos velhos aviões da guerra colonial.
Diogo Cão às fatias
Diogo Cão
Há uns meses, a Praça 4 de Fevereiro, entalada entre o Hotel Presidente, o Palácio de Vidro, o edifício principal do Porto de Luanda e as obras da baía, foi arranjada e limpa. Os lancis foram pintados de preto e branco ou com as cores nacionais, os coqueiros moribundos foram trocados por uns ainda saudáveis e, coisa estranha, o pedestal da estátua retirada em 1975 foi todo recuperado. Antes parecia um velho pedestal abandonado. Agora parece incompleto.
Pedestal da estátua de Diogo Cão
Só falta a estátua
Se encontrarem as peças todas, não falta muito para haver outra vez um monumento a uma figura importante da História de Angola.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

SODADE DE CABO VERDE

Oscar Wilde

Enviado para você por Moio através do Google Reader:

via Livro di Téra de BMF em 11/09/09

Entrevistas – Comunidade Caboverdeana em Portugal

Você disse que os cabo-verdianos têm uma pátria de 4033 quilómetros quadrados repartidos por 10 ilhas porque ainda não leu Sodade de Cabo Verde, de Gabriel Raimundo. Quando ler, além de gostar, vai concordar com a Marzia Grassi, que pensa que o território do cabo-verdiano é o mundo, mundo que ele leva enrolado debaixo do braço e que estende ao sabor de um abraço e das viagens que faz na própria emigração.
… um livro de vozes e ecos, de sonhos e saudades, de engenho e luta, da incrível capacidade de contornar obstáculos, relançar o jogo, ganhar sem vencer, e estender a mão para chegar mais longe. Ao lê-lo ia ouvindo ecos e vozes de muitas partes do Mundo, vendo milhares de olhares concentrados nas ilhas e adivinhando esse palpitar único do coração que só de querer o bem grande bem faz à Terra-Mãe.
São mulheres e homens de várias idades, de todas as ilhas e mais algumas, advogados, arquitectos, condutoras e condutores de autocarros, deputadas e deputados, desempregados e domésticas, desportistas, dirigentes associativos, empregados de indústria e de serviços, empresários, enfermeiros, engenheiros, escultores, farmacêuticos, gestores, ilusionistas, investigadores, jornalistas, juízes, médicos, músicos, pedreiros, pilotos aviadores, pintores, polícias, professores da educação infantil ao ensino universitário , sacerdotes, todos partilhando o comum sentimento de pertencerem àquela terrinha e a esperança de um dia a ela voltarem.

Corsino Tolentino

Autor: Gabriel Raimundo
Editor: Autor
Ano de edição: 2008

HOLOCAUSTO EM DEBATE

via REVERENTIA de HNO em 10/09/09
Através de uma das maiores livrarias "on-line" chegou-me ontem este livro que pretende confrontar os argumentos de revisionistas e tradicionalistas (ou na linguagem revisionista "exterminacionistas") a propósito do facto histórico conhecido como Holocausto. Tratado aqui como facto histórico que é (e não qualquer sacrossanto dogma de fé), consequentemente passível de discussão e análise (como qualquer outro facto histórico), o autor procura fornecer os argumentos das duas tendências historiográficas não deixando, evidentemente, de apontar (quando tal se justifica) as inúmeras incongruências que o movimento revisionista (de que só referencia obras de investigadores credíveis e não de meros propagandistas do mesmo) vem apontando à historiografia oficial.
Como cientista recusa, evidentemente, proibições, condenações, prisões e restante incompreensível cortejo de estranhas coisas que são aplicadas a quem apenas pretende transmitir uma análise distinta de factos históricos. Lembrei-me, a propósito, das palavras do embaixador do Irão em Lisboa, Mohammed Taheri, em entrevista à rádio Antena 1 em 16 de Fevereiro de 2006: "A liberdade afinal termina quando se fala de Holocausto?"

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Idiomas, experiencia Babbel

via e- Academia .es de javiersaez77 em 09/09/09
Aprendiendo idiomas gratuitamente en Babbel
Babbel es un portal de internet que ofrece una alternativa lúdica para aprender cinco idiomas: alemán, inglés, francés, italiano y español. Esta plataforma ofrece una variedad de métodos de aprendizaje entretenidos, con recursos multimedia y diferentes sistemas de comunicación para la comunidad de usuarios. Desde su inauguración en enero de 2008, se han registrado más de 300.000 usuarios en Babbel.
Cifras & hechos
Babbel.com es un proyecto a cargo de Lesson Nine GmbH, una joven empresa ubicada en el barrio Kreuzberg de Berlín, famoso por su carácter multicultural. Hasta ahora el equipo está conformado por diez empleados fijos y doce colaboradores autónomos.
Quizá, lo más interesante de esta plataforma de aprendizaje de idiomas sea su facilidad de uso, y su gratuidad en los niveles iniciales y básicos. También que además de poder estudiar francés, inglés, alemán e italiano, se puede estudiar castellano como lengua extranjera.

(mais) Uma oração na tarde.

Um momento de espiritualidade e de aprendizagem de inglês!
Rui Moio

via Um Jardim no Deserto em 08/09/09

Ask the Lord for help before it's too late - Pedir ajuda ao Senhor antes que seja demasiado tarde..


terça-feira, 8 de setembro de 2009

Clube Bilderberg focado pelos seus jornalistas

via Nacional-Cristianismo de NC em 02/09/09

Vale a pena ler esta perspectiva: O que está por detrás da Nova Ordem Mundial

Síndrome de Estocolmo

via Salpicos de Elsa Madeira em 03/09/09


Fotografia do assalto ao banco, que deu origem ao nome da síndrome

Os meios de comunicação social destacaram mais um caso de rapto, seguido de um longo período de cativeiro, que a vítima viveu com uma aparente tranquilidade.

Este fenómeno designa-se como Síndrome de Estocolmo.

Documentado pela primeira vez em 1973, aquando um assalto a uma agência dependência bancária em Estocolmo, onde durante seis dias os empregados foram mantidos nas instalações pelos assaltantes. Após a sua libertação e para estranheza de todos, estes empregados bancários em vez de incriminarem os seus opressores defenderam-nos.

Este comportamento sugere a existência de um mecanismo de sobrevivência físico e psicológico.

Entre as possíveis explicações para este síndrome, destaca-mos:

- a ligação ao agressor, mecanismo psicológico adaptativo que pode possibilitar a sobrevivência;

- a identificação com o agressor, mecanismo que aumenta a probabilidade de sobrevivência;

- e a ilusão de estabilidade e controlo, onde a ligação emocional ao agressor torna a situação vivenciada mais suportável.

No sentido inverso destacamos o Síndrome de Lima, onde os raptores ficaram gradualmente sensibilizados pela situação vivida pelos seus reféns.

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

VOZES DO VENTO

via Livro di Téra de BMF em 04/09/09

Uma saga colonial em Cabo Verde. Um século em busca de identidade.

Eis a história dos descendentes de Manuel António Martins, o Senhor das Ilhas: do seu inevitável devir, do êxito à decadência e ao esquecimento. Metáfora da ficção histórica que foi o império colonial, este é um romance cabo-verdiano e português, um romance dos improváveis encontros que marcam os destinos humanos.

Autora: Maria Isabel Barreno

Editor: Sextante
Ano de edição: 2009

Saudades do Luena

via Leste de Angola de Jorge Santos - Op.Cripto em 06/09/09
A foto mostra a gare da velha estação do CFB – Caminho de Ferro de Benguela, no Luena e faz parte da vasta reportagem que a Drª Sandra Aires fez, no início de Agosto, quando ali foi comemorar, pela...

sábado, 5 de setembro de 2009

E se a História tivesse sido outra ?

Sobretudo... se o 25 de Abril se tivesse gorado!... como estaria hoje o todo português?

Rui Moio

via COMBUSTÕES de Combustões em 05/09/09

A História abordada nas possibilidades de futuríveis que jamais se realizaram constitui vasto e sedutor horizonte especulativo que não ofende nem o rigor nem a ética dos historiadores. Não se tratando de gratuito empréstimo da ficção, possibilita incorporar no labor historiográfico a metodologia das chamadas "ciências militares" - geo-política, geo-estratégia - que trabalham com cenários, colocando aqueles que a exercitam perante a imprevisibilidade dos factores subjectivos implícitos nos acontecimentos, sobretudo aqueles factores ditos "intangíveis" e "psicológicos" que são inerentes a qualquer acção humana.


O What If ?, que conheceu um primeiro volume em 2001 e, logo depois uma segunda série de ensaios de grande interesse em 2004, apresenta um vasto elenco de acontecimentos submetidos a inversão. Se os Confederados tivessem vencido, se Lutero tivesse sido julgado e sentenciado, se Roosevelt não tivesse chegado à Casa Branca, se Churchill tivesse sido preterido por Halifax, se Wallace tivesse conseguido a eleição, se os chineses tivessem perseverado na expansão marítima no século XV ...
Seria curioso reunir alguns historiadores caseiros e desafiá-los para trabalho análogo sobre os acontecimentos axiais da história portuguesa. Se D. João I não se tivese decidido pela tomada de Ceuta, se os portuguseses em 1640-50 não se tivessem interessado pelo Brasil e dessem uma guerra de longa duração aos holandeses na Ásia, se Pombal não tivesse ascendido ao poder, se D. Miguel tivesse vencido a guerra civil, se João Franco tivesse ficado com a presidência do ministério após o regicídio, se o 25 de Abril se tivesse gorado ...

Pacific Boils Over

Hitler Desejava a Guerra?

via Revisionismo em Linha de Johnny Drake em 05/09/09

Motivos profissionais obrigaram-me a afastar-me mais uns dias e tornou-se complicado a actualização do blogue. Mas estou de volta!


Ao contrário do que defendem os crentes afirmacionistas, tudo em História deve ser questionado e devem ser muito bem vindos todos os novos dados, abordagens, estudos e análises. Isto porque aquilo que hoje se pensa ser um "dado absoluto e inquestionável", amanhã já pode não o ser. A VERDADE NÃO TEME A INVESTIGAÇÃO! Esta notícia é um exemplo disso. Será este mais um caso e um exemplo de "negacionismo"?

Vamos passar ao tema do 'post' propriamente dito.

A 1 de Setembro de 1939, há cerca de 70 anos, o Exército alemão cruzava a fronteira Polaca. A 3 de Setembro, a Grã-Bretanha declarava-lhe guerra. Seis anos as tarde, 50 milhões de Cristãos e Judeus tinham morrido. A Grã-Bretanha estava destroçada e falida, a Alemanha numa autêntica ruína fumegante. A Europa tinha sido palco do maior local de combate assassino alguma vez conhecido pelo homem e os civis sofreram horrores piores do que os soldados.

Até Maio de 1945, o Exército Vermelho ocupou todas as grandes capitais da Europa Central: Viena, Praga, Budapeste, Berlim. Uma centena de milhões de Cristãos ficaram sob o tacão de uma das tiranias mais bárbaras da história: o regime Bolchevique de um dos maiores terroristas, Joseph Stalin.

Que motivos poderiam justificar tais sacrifícios?

A guerra Germano-Polaca tinha sido originada por uma disputa sobre uma cidade do tamanho de Ocean City, Maryland, no Verão. Danzig, com 95 por cento da população Alemã, tinha sido retirada à Alemanha com o Tratado de Versalhes, em violação do princípio de Woodrow Wilson da auto-determinação. Até mesmo os líderes Britânicos defendiam que Danzig deveria ser devolvida.

Por que é que Varsóvia não negociou com Berlim, que sugeriu uma oferta de compensação no território Eslovaco? Porque os Polacos tinham uma garantia de guerra da Grã-Bretanha que, em caso de ataque da Alemanha, a Grã-Bretanha e o seu império viriam em seu socorro.

Mas por que é que a Grã-Bretanha mantinha uma garantia de guerra não solicitada para com uma junta de coronéis Polacos, dando-lhes o poder de arrastar a Grã-Bretanha para uma segunda guerra com a nação mais poderosa da Europa?

Danzig era merecedora de uma guerra? Ao contrário dos 7 milhões de "Hong Kongese" os quais os Britânicos fizeram renderem-se a Pequim, que não queriam ir, o "Danzigers" estavam a pedir para voltarem para a Alemanha.

Aqui vem a resposta: a garantia de guerra não era sobre Danzig, ou até mesmo sobre a Polónia. Era sobre o imperativo moral e estratégico de "parar Hitler" depois dele ter mostrado, ignorando o pacto de Munique e passando por cima da Checoslováquia, que estava pronto para conquistar o mundo. E esta besta Nazi poderia ser autorizada a fazer isso.

A ser verdade, um ponto justo. Os Americanos, afinal, estavam preparados para utilizar bombas atómicas para manter o Exército Vermelho longe do Canal. Mas onde está a prova de que Adolf Hitler, cujas vítimas, em Março de 1939, eram uma pequena fracção, comparadas com as do general Pinochet ou as de Fidel Castro, e preparava para conquistar o mundo?

Leia o artigo na íntegra aqui.

Esta análise de Pat Buchanan mostra bem que existem ainda muitos pormenores que escapam à historiografia oficial. Que a análise dos factos históricos está, por vezes, repleta das mais variadas interpretações já nós sabemos - vejam como aqui os "danos colaterais" podem também ser vistos como uma outra forma de "terrorismo". Resta saber se esse "fechar de olhos" da historiografia oficial a outras interpretações da história defende ou não outros interesses para além da verdade histórica. Os exemplos da censura acontecem todos os dias e é de louvar a coragem de alguns em furar o cerco da nova inquisição.

Arrepios musicais e picos emocionais

via Portal Rede Psicologia de Jorge Alves em 04/09/09
Arrepios musicais e picos emocionais
trompete-musicaMuitas pessoas experienciam arrepios quando ouvem música. Tal fenómeno tem sido estudado cientificamente, dando origem a achados interessantes como a associação entre estes arrepios e picos emocionais positivos.
Um estudo recente, recorrendo a medidas psicofisiológicas, corrobora a noção supracitada e revela que os estes "arrepios musicais" se constituem como um bom indicador de picos emocionais.
Link para o pdf completo do artigo: Chills as an indicator of individual emotional peaks.
Artigo publicado em: Portal Rede Psicologia
Arrepios musicais e picos emocionais
Leia também:

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

O seu índice da Internet


via Links Interessantes de noreply@blogger.com (Alberto Vale) em 03/09/09

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Destruir a Teoria do Arrefecimento Global da Compal

1. - Sem dúvida que este é um óptimo exemplo do que é a Dissonância Cognitiva. Perante situações adversas a pessoa humana encontra sempre mecanismos conducentes a resolver mentalmente os conflitos internos mesmo que a solução a encontrar seja algo completamente ilógico ou irracional, como é o caso do exemplo dado.

2. - Neste quadro, se explica a proliferação de situacionistas que logo ocorre numa sociedade, sempre que oconteça uma alteração política que em termos de valores seja diferente e mesmo contrária à anterior.

3. - E, assim se esplica também parte do êxito da adesão das massas metropolitanas e de alguma parte das forças vivas do Ultramar ao golpe de estado do 25 de Abril de 1974.

4. - Hoje, perante as dificuldades económinas acrescidas dos últimos anos, já aparecem alguns políticos e analistas que acusam o regime político actual da situação que se vive.

5. - Mas, quase ninguém defende que a génese do nosso problema nacional está, não apenas no que se fez ou deixou de se fazer nos últimos 10 a 20 anos, mas, no próprio nascimento do actual regime político; pois, este regime foi parido por uma grande traição aos valores permanentes da portugalidade e da nação portuguesa no seu todo pluricontinental e pluriracial de sempre, ou seja, nasceu da entrega traiçoeira e acobardada do Ultramar ao inimigo do todo da Nação Portuguesa e do desvirtuar da nossa identidade de sempre, que foi e terá de continuar a ser, Africana, Atlântica e Ecuménica.

Rui Moio

via Dissonância Cognitiva de Bruno Ribeiro em 01/09/09

A Compal lançou há já algum tempo uma publicidade que apresenta a sua teoria do arrefecimento global para promover a linha Compal Fresh, como podem ver abaixo:

A publicidade seguem uma série de premissas que encadeadas levam à solução lógica de que beber Compal Fresh leva ao arrefecimento do planeta. O que em si levaria a uma menor necessidade de beber Compal Fresh, mas pronto. Mas a verdade é que, assumindo a mesma linha de pensamento do anúncio podemos formar o seguinte silogismo:

Para termos um planeta mais fresco precisamos de um planeta com mais água.
O aquecimento global irá derreter o gelo dos pólos, aumentando o nível de água do planeta.
Logo, para termos um planeta mais fresco devemos contribuir para o aquecimento global.

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Youtube: tudo começou assim

via Twitter Blog de Sergio Bastos em 01/09/09
A 23 de Abril de 2005 era colocado no Youtube o primeiro vídeo. Jawed Karim, um dos três fundadores desta plataforma online, protagoniza 20 segundos de película gravada no jardim zoológico de San Diego.
"Me at the Zoo" faz parte de 22 vídeos que Jawed Karim tem no canal que não actualiza há dois anos. Com mais de quatro anos percorridos, o pequeno discurso sobre trombas de elefantes soma perto de 1 milhão de visitas, nada que faça sombra aos vídeos mais vistos do Youtube. Só "Thriller" de Michael Jackson tem já 64 milhões, um terço deles garantidos nos dias seguintes à sua morte.

Fórum Mundial de Marketing e Vendas - Dan Ariely

via Não posso evitar... de Rodolfo Araújo em 31/08/09
(Read this post in English - Translated by Google) Dan Ariely é o que se pode chamar de um verdadeiro Iconoclasta. No sentido literal da palavra, Ariely destrói ícones, quebra paradigmas, rompe tradições. E seu principal alvo é a economia...

Pensamentogrupal, “A Onda” e Cesar Maia

Focam-se aqui dois temas interessantes: o Pensamento Grupal (ou, pensamento de grupo) e a Dissonância Cognitiva.

Quanto ao pensamento grupal ou pensamento de grupo: Nos dias de hoje é pertinente compreender-se o pensamento grupal devido à facilidade da proliferação das notícias e à possibilidade de grupos pequenos poderem-se expandir rapidamente. Que implicações poderá ter este fenómeno no regime democrático?

Quanto à Dissonância Cognitiva: que tal relacionar este conceito com o pensamento grupal, tal como hoje o devemos entender?

Conclusão: ao caos social provocado pelo fenómeno novo do Pensamento Grupal contrabalança-se a Dissonância Cognitiva, mas, com tantas mudanças e tão rápidas, a Dissonância Cognitiva poderá só por si ser capaz de apaziguar o conflito e evitar o caos social e os gritantes conflitos nas consciências individuais?

Rui Moio

via Vou vivendo... em 30/08/09
Nos desafios para criação de ambientes para a inteligência organizacional, um dos temas que mais me fascinam é a irracionalidade e cegueira comuns no comportamento em grupos, e o fenômeno da dissonância cognitiva, que faz que as pessoas ajustem seu pensamento para validar o que fazem e sentem na ...

Baixa dos juros dá poupanças

«As taxas de juro Euribor atingiram em Agosto o mínimo do último ano, ao fecharem o mês como uma média de 1,117 por cento. As poupanças nas prestações foram da ordem dos dois mil euros para um empréstimo de 100 mil euros a 30 anos com um spread de 0,7 por cento, de acordo com o 'Jornal de Negócios.'»

Fonte: Correio da Manhã de 01Set2009

Related Posts with Thumbnails